25 anos sem Mamonas Assassinas

Hoje, terça-feira dia 2, comemora a morte do grupo Mamonas Assassinas, de 25 anos, em um acidente na Serra da Cantareira. Dinho, Bento Hinoto, Júlio Rasec, Samuel Reoli e Sérgio Reoli fazem parte desse grupo.

Com a morte dos  integrantes da banda Mamonas Assassinas há 25 anos, o Brasil chorou. Esse grupo foi um dos maiores fenômenos da história da música brasileira, a queda do avião causou a morte de todos os músicos, o que abalou todo o país e mobilizou os profissionais da televisão. A tragédia aconteceu no domingo, o que fez mudar toda a forma como o país transmite televisão.

A grande comoção nacional

Naquela época, o acidente causou comoção nacional. De outubro de 1994 a 2 de março de 1996, a carreira profissional da banda durou um ano e meio. Mesmo após a tragédia, a banda continuou influenciando o cenário musical nacional.

Do forró à música portuguesa, a comédia rock caótica tornou-se um fenómeno democrático que agrada pessoas de todas as idades.

Com o tempo, algumas dessas canções perderam seu poder na nova geração e geralmente estão mais interessadas em encontrar informações sobre tragédias e teorias sobre a morte da banda. Mas os outros ainda são hinos da década de 1990.

O sucesso

O único álbum de estúdio gravado pela banda, Mamonas Assassinas, foi lançado em junho de 1995 e vendeu mais de 1 milhão e 800.000 cópias no Brasil, e foi certificado pela Associação Brasileira de Produtores Gravadores (ABPD) pela Diamond Records.

Com grande sucesso comercial, fizeram um tour detalhado e participaram de programas como JôSoares Onze e Meia, Domingo Legal, Programa Livre, Domingão do Faustão e Parque da Xuxa. Em fevereiro de 1996, eles apareceram na capa da Billboard em um relatório de vendas sem precedentes do primeiro álbum. Eles se apresentam de oito a nove vezes por semana, em 24 dos 27 estados brasileiros (incluindo o Distrito Federal) e, ocasionalmente, de duas a três apresentações por dia.

Quando a banda realizavam inúmeras apresentações, eram chamados de “road rollers” porque outras bandas e artistas ficavam com medo e não queriam se apresentar na cidade onde se apresentavam, porque todo mundo só queria assistir os Mamonas.

10 dicas de cuidados com a pele para jovens que aprendemos com celebridades com mais de 40 anos

O acidente de avião em 1996

O CENIPA (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes de Aviação) afirmou que a causa do acidente foi o piloto Jorge Luiz Martins e seu copiloto realizando uma operação incorreta após um longo vôo pela cidade onde a banda atuou. Portanto, concluiu-se que o jato foi utilizado para explicar o acidente que causou a morte de cinco membros da equipe.

O que causou o  acidente foi fadiga de voo, mau comportamento do co-piloto, o piloto não teve tempo de voo suficiente para se adaptar a esse tipo e modelo de aeronave e não foi contratado pela empresa de táxi aéreo MADRI que transporta a banda de frequência, e entre comunicação falhou. A torre de controle e o piloto fizeram uma comparação e redação incorreta das informações fornecidas pela torre de controle.