Considerado por muitas pessoas como o tecido mais sexy da moda, o vinil é uma variação plastificada do cloreto de polivinila (PVC). Embora o PVC seja duro, com a adição de plastificantes ele pode ser tornado flexível o suficiente, por exemplo, para revestir tecidos em qualquer espessura.

Ariana Grande revela seu segredo para o sucesso

Em 1926, o plástico foi acidentalmente descoberto por Waldo L. Semon, um cientista que trabalhava para a empresa BF Goodrich.

O tecido vinílico atualmente fabricado consiste em uma base de poliéster revestida por uma camada de plástico brilhante que pode ser de várias cores, inclusive listradas. Os plásticos utilizados são geralmente PVC (Policloreto de Vinila) e PU (Poliuretano), sendo que a versão transparente do vinil não possui base de poliéster, possuindo apenas a camada de PVC.

Durante as primeiras décadas de sua existência, as roupas de vinil eram usadas apenas para a chuva, mas nos anos 60 o vinil adquiriu um novo status na moda.

Conheça as novas tendências de lingerie de 2021

Vinil e a Era Espacial

Vinil, entrou em alta moda durante a década de 1960. Naquela época, no contexto da Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética disputavam quem tinha a melhor tecnologia espacial, lançando foguetes e satélites ao espaço, culminando com o pouso da missão Apollo 11 na Lua em 1969. Ao mesmo tempo que havia um clima de tensão entre as duas superpotências mundiais, havia um certo ar revolucionário entre os jovens, uma grande vontade de desafiar a sociedade existente. E na moda daqueles anos não foi diferente: tanto a revolução tecnológica quanto as aspirações da juventude refletidas nas criações dos estilistas dos anos sessenta.

Em meados da década de 1960, os designers de alta costura André Courrèges, Pierre Cardin e Paco Rabanne, conhecidos por seus looks modernos e futuristas chamados de ‘Era Espacial’, agarraram-se ao visual de alta tecnologia do vinil. Este tecido não apenas deu um novo apelo de superfície aos seus designs, mas emprestou uma aparência estrutural moderna à nova visão dos designers de formas arquitetônicas, em vez de linhas drapeadas fluidas. Formas geométricas modernas e bem definidas caracterizavam seus designs. As roupas foram cortadas para sugerir formas geométricas simples, quadradas com bordas duras, linhas retas angulares ou de formato circular.

André Courrèges, que afirmava ter inventado a minissaia (muitos atribuem a invenção da minissaia a Mary Quant), colocou o vinil na moda com suas minissaias, capacetes, vestidos de corte A e ternos. Inspirado por botas de astronauta, ele usou vinil em sua “Coleção Moon Girl” para criar as botas brancas brilhantes que complementavam seus designs. A “bota Courrèges” ia até o meio da panturrilha, com fendas abertas na parte superior e uma borla ou arco na frente. Logo o visual estava sendo copiado em todos os lugares. Popularizadas por adolescentes que usam botas em programas de televisão de discoteca, elas logo foram chamadas de “botas go-go” em homenagem aos dançarinos de gogo que as usavam.

Ao mesmo tempo, na Inglaterra, o visual da moda “Mod” apareceu pela primeira vez na King’s Road e na Carnaby Street de Londres. Os movimentos op art e pop art inspiraram a estilista inglesa Mary Quant. Ela popularizou a minissaia, as botas de vinil e as bolsas de ombro. Ela usou tecidos revestidos de vinil para criar o que foi chamado de “look molhado” não apenas em capas de chuva, mas também em minissaias e vestidos justos.

E assim vieram as roupas de vinil que dominaram as passarelas e ruas daquela década, sendo usadas por celebridades como Audrey Hepburn, Raquel Welch, Joanna Lumley, Britt Ekland, Brigitte Bardot, entre outras, tornando-se um dos ícones da moda da década de 1960.

Vinil e as tribos urbanas

A partir do final dos anos 1970, o vinil foi adotado por tribos urbanas. Foi nessa época que os punks e os godos começaram a usar roupas feitas com esse material. E na década de 90, foi a vez dos clubbers incorporarem o tecido aos seus figurinos.

A herança da Era Espacial

Mesmo ao longo das décadas, o vinil não perdeu seu apelo futurístico, de alta tecnologia e da era espacial. Os figurinistas de filmes e séries de ficção científica sempre gostaram do material. O tecido foi muito utilizado para compor os figurinos dos personagens dessas produções audiovisuais. É o caso, por exemplo, da personagem Trinity do filme ‘The Matrix Reloaded’, interpretada pela atriz canadense Carrie-Anne Moss, que usava um terno todo de vinil. Outro personagem notável foi Anri, o andróide da série de TV japonesa ‘The Fantastic Juspion’, interpretada por Kiyomi Tsukada, cujas roupas tinham muitas partes confeccionadas com o tecido. E hoje em dia esses personagens são revividos com entusiasmo por seus fãs em Cosplay, que é mais um fenômeno cultural onde o vinil desempenha um grande papel.

Vinil na década de 1990

Começam os anos 90 e com eles o vinil volta à moda com todo o glamour que tinha nos anos 60. Cantores, apresentadores de TV, estrelas de cinema e muitas outras pessoas vêm usar roupas de vinil. Até os homens se rendem ao charme do tecido. Elizabeth Hurley, Madonna, Spice Girls, Shania Twain e Janet Jackson estão entre o grupo de pessoas que usavam vinil na época.

Em 1994, a marca italiana Versace lançou sua coleção outono / inverno com as top models mais conhecidas dos anos 90, entre elas Nadja Auermann, Stephanie Seymour, Claudia Schiffer e Cindy Crawford, todas vestidas de vinil.

Em 1995, Janet e Michael Jackson lançaram o videoclipe ‘Scream’, no qual ambos aparecem vestidos com calças de vinil. Também em 1995, Madonna lançou o videoclipe ‘Human Nature’, no qual a cantora aparece vestida com um macacão de vinil.

Shania Twain foi uma das principais cantoras que usava vinil em suas fantasias na época. Quando ela foi premiada com o American Music Awards de 1996, ela estava vestindo uma blusa de vinil e calças. E quando ela foi premiada com o World Music Awards naquele ano, ela estava vestindo uma camisa de vinil.

O tecido plástico também foi muito utilizado no figurino de cantores e grupos de Dance Music, gênero musical muito popular na década de 1990 e que hoje é conhecido como Eurodance. Nomes famosos da Dance-Music como Nicki French, Whigfield, Masterboy, La Bouche, entre outros, usavam vinil em seus figurinos da época.

Vinil na nossa era atual

Desde 2010, o vinil conquistou um grande espaço tanto na alta costura quanto no dia a dia, consagrando-se como um grande ícone fashion.

Marcas como Versace, Anthony Vaccarello, Zara, TopShop, Asos, H&M, Boohoo, Pull & Bear entre outras, investem fortemente em roupas feitas com esse material. Modelos famosos como Elle MacPherson, Alexa Chung, Ece Sükan, Bella Hadid, Kendall Jenner e muitas outras celebridades estão usando looks de vinil.

Em 2016, a supermodelo Gisele Bündchen arrancou suspiros dos nova-iorquinos ao comparecer ao talk show de Jimmy Fallon com uma deslumbrante calça de vinil do estilista Anthony Vaccarello.

Emmanuelle Alt, atual editora-chefe da revista Vogue Paris, e Carine Roitfeld, sua antecessora, ambas com grande influência e conhecimento no mundo da moda, já se viram muitas vezes com looks em vinil, mostrando que a tendência veio para ficar.

Como você pode ver, o vinil já ganhou seu lugar entre os clássicos e provavelmente não dependerá mais da sazonalidade da Moda. Sempre estará presente na moda feminina, assim como no couro e no jeans.